domingo, 12 de outubro de 2014

Levy Fidélix e a discussão ideológica Parte 2.

Texto extraído integralmente do Blog Cristianismo em Foco
"A injustiça que se faz a um, é uma ameaça que se faz a todos."Barão de Montesquieu



Vamos a segunda parte do tema, e olha que a primeira já deu polêmica, bastou uma divulgação na internet e já fui chamado por um “petista roxo” de homofóbico. O detalhe mais engraçado é que o texto não fez referência alguma à questão homossexual, mas sim á questão de debate de idéias. Evidência de que o termo homofóbico, tem se empregado por essa gente a mero título de insulto, simples rotulação e nada mais.

Pois bem, mas esse texto irá tratar da questão homossexual, precisamente falando, na briga envolvendo o candidato Levy Fidélix, Luciana Genro e Eduardo Jorge.

Tudo começou no debate presidencial da rede Record, onde Luciana Genro questionou Levy Fidélix sobre casamento homossexual, terminando no debate da rede globo, onde Eduardo Jorge novamente também não só questionou Levy, como informou estar processando ele (Levy) por seu posicionamento e não obstante disso, disse que 99,9% dos brasileiros foram agredidos com o mesmo posicionamento, ele fala de uma forma falaciosa, como se a opinião dele fosse à da maioria dos Brasileiros, maioria essa que é composta por pessoas de princípios, valores morais cristãos, sejam católicos, sejam protestantes ou outros diversos seguimentos. 

Não há como negar que a forma como Levy Fidelix se posicionou, foi bem diferente do que estamos costumados a ver, mas podemos afirmar que ele incitou a violência? Que incitou o crime? Ou a interpretação de alguns foi exagerada e antidemocrática? 

Falas de Levy Fidélix: “Dois iguais não fazem filho”, “vão se tratar longe”

Ok, agora nós vamos pegar o outro lado bem como as conseqüências.

pastor Retamero que disse estar disposto a pegar em armas contra o s religiosos, os chamando de desgraçado, a OAB, o PV, o PSOL, eles fizeram algo contra? Não.



O racismo contra Joaquim Barbosa em blog favorável ao governo do PT, chamando o então ministro de macaco, qual foi a reação da OAB? Indiferença.

Racismo em matéria de blog pró governo



A tal “marcha das vadias”, que cometeram o crime de vilipêndio a culto, previsto inclusive no Código Penal, artigo  208 do código penal que é bem claro ao dizer:

“Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.
Pena - detenção, de um mês a um ano, ou multa.
Parágrafo único - Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente à violência.”

http://www.jusbrasil.com.br/topicos/10612290/artigo-208-do-decreto-lei-n-2848-de-07-de-dezembro-de-1940


Eles ficaram nus com imagens de santos católicos, pisaram em crucifixos e os quebraram, e não obstante, xingaram a Igreja Católica de tudo quanto é obscenidade e quebraram imagem, tacando-a no chão, qual foi a reação? Cadê você OAB? Isso é crime! Será que vocês foram comprados? Eu digo uma coisa a eles: COVARDES!

                      Crime de vilipêndio a culto praticado por participantes da "marcha das vadias"




Não teriam esses manifestantes de irem presos? Algemados? Assim como queriam que acontecesse com o Levy Fidélix?

deputado Federal Jean Wyylys do PSOL, quando levianamente escreveu em seu artigo “Quando o Brasil vai reagir contra a homofobia?” na Revista “Carta Capital”:


“Kaique foi morto. Outros virão. Cada vítima tem um assassino. Mas há outros, no Congresso, no governo e nas igrejas.” Por Jean Wyllys

http://www.cartacapital.com.br/sociedade/de-quantos-mortos-precisa-o-brasil-para-reagir-contra-a-homofobia-865.html

Quando na verdade, a polícia e a família do rapaz chegaram à conclusão de que fora suicídio, desmentindo a suposta homofobia, alguém se manifestou?



Inclusive, o mesmo deputado relacionou o Pastor Silas Malafaia a Ku Klux Klan, a mero título de insulto, também de forma leviana, conforme:

"A decisão do Senado de enterrar o PLC-122 não foi motivada por uma discussão séria sobre qual é a melhor política contra a homo/lesbo/transfobia, mas pela decisão da maioria dos senadores de que não haja nenhuma política contra ela. Não é por acaso que o pastor Silas Malafaia, um dos líderes do Ku Klux Klan antigay brasileiro, parabenizou os senadores e, em especial, o senador Lindberg Farias, um dos líderes da causa homofóbica no governista Partido dos Trabalhadores [...] Em meio a tudo isso, Kaique foi morto. Mais um. E mais outros virão”

http://noticias.gospelmais.com.br/jean-wyllys-responsabiliza-evangelicos-morte-adolescente-gay-64267.html

É só pesquisarmos, a coisa parece não ter fim. A pergunta que não quer se calar é, por que esse “dois pesos e duas medidas”?  

Pois bem, enquanto a pergunta não é respondida deixe-me ser mais ousado, essa gente toda aí politicamente correta, eles perderam o senso da realidade mediante a mudança do pensamento e da estrutura de linguagem, afim de que possam fazer o que bem entendem.

Enfim, aguardamos respostas, e não podemos ficar de braços cruzados.

Mais informações:











0 comentários:

Postar um comentário